Dia do Consumidor: dicas para economizar e comprar com segurança na internet

Mais um Dia do Consumidor se aproxima e, prestes a completar 20 anos, o comércio eletrônico continua em franca expansão. Questões como idoneidade da loja virtual e garantia da entrega do produto ainda geram muitas dúvidas no e-consumidor e muitos deles optam até por pagar um pouco mais em troca da melhor experiência online, entre elas o comprometimento com a entrega dentro do prazo.

Visando ajudar os internautas o Zoom separou algumas dicas para que as pessoas possam fazer suas compras pela internet com consciência e tranquilidade. E mais: criou um hotsite que estará disponível na semana do consumidor (de 15 a 21 de março) com algumas dicas e uma seleção de ofertas para que as pessoas possam fazer suas compras pela internet com consciência e tranquilidade.

Em meio a tantas discussões para regulamentação do Código de Defesa do Consumidor, que ainda não foi efetivamente reformulado de acordo com a realidade do crescimento deste mercado, cabe ao internauta tirar dúvidas para se precaver antes de finalizar a compra. Atualmente, segundo pesquisa do Zoom em parceria com a consultoria M.Sense, os produtos mais comprados pela internet pertencem à categoria de eletroeletrônicos e informática (47%), seguidos por eletrodomésticos (45%) e, artigos de moda (37%), mas já estão se somando ao ranking artigos como alimentos e bebidas, automóveis/autopeças e medicamentos.

Alguns cuidados simples como verificar se a loja virtual fornece informações sobre endereço físico e telefone para contato e se o site está em um ambiente seguro antes de fornecer dados para pagamento, podem evitar problemas.

No caso de ocorrências com a entrega do produto, a partir do momento que a loja virtual estourar o prazo prometido para entrega, o consumidor pode exigir que o produto seja entregue imediatamente ou aceitar outro equivalente. Há também a opção de cancelar a compra com o ressarcimento de todos os valores pagos, inclusive o frete.

Confira abaixo mais dicas para auxiliar os e-consumidores a terem uma melhor experiência de compra pela internet:

– Como saber se o site é seguro?
É importante verificar se o site tem dados blindados. Quando fornecer seus dados pessoais, fique atento ao desenho de um cadeado que aparece no canto esquerdo do local onde você digita o nome do site, e verifique se o endereço começa com https://. Também vale evitar compras em computadores de terceiros ou de acesso público. Não acreditar em ofertas que sejam extremamente discrepantes do preço médio praticado pelo mercado, verificar o nome da loja em sites de reclamações e até mesmo em órgãos de proteção ao consumidor, como o Procon, conhecer bem os critérios para troca, devolução e solicitação do dinheiro de volta, bem como observar indicadores de segurança do site antes de fornecer seus dados financeiros para pagamento, também precisam ser levados em consideração.
– Realmente devo comprar?
Com a facilidade e rapidez da internet para trazer os produtos almejados à sua frente, é importante estabelecer um momento de reflexão antes de finalizar a compra. É preciso ponderar seu orçamento, sua necessidade e seu desejo de compra. Compare preços, funcionalidades dos produtos e analise se não vale esperar por promoções, que podem representar grandes economias.

– Posso confiar nessa loja?
O mundo virtual oferece uma quantidade infinita de opções de lojas e vale lembrar que hoje é muito fácil criar uma loja online, sendo assim é preciso se precaver para que seu sonho de consumo não vire um pesadelo. Alguns cuidados essenciais:
• Certifique-se da procedência da loja e verifique se existem informações como endereço físico, telefones, emails, serviço de atendimento ao cliente e o CNPJ. Em caso de dúvida, ligue para o SAC que deverá fornecer todos os dados que você solicitar. É obrigatório por lei que essas informações estejam disponíveis nas lojas virtuais.
• Pesquisar o nome da loja no Google e em sites de reclamações. Se a loja realmente não for idônea, com certeza, consumidores que já tiveram problema utilizarão a internet para comunicar o fato.
• Se encontrar uma oferta de produto muito abaixo do preço praticado pelo mercado, redobre o cuidado para verificar a procedência da loja.

– E se eu me arrepender?
Tudo bem se você se arrependeu. Você tem o prazo de sete dias, contados a partir do dia do recebimento do produto, para devolvê-lo, mesmo que utilize o produto e ele não apresente defeito. Essa devolução garante o ressarcimento imediato do valor atualizado do pedido, incluindo os custos com frete. O Decreto 7962/13 orienta os lojistas a mostrarem de forma clara e visível, quais os meios de comunicação por onde o consumidor poderá exercer seu direito de arrependimento. Além disso, fica por conta da loja comunicar a instituição financeira ou administradora de cartão de crédito que a compra foi cancelada em função do prazo de arrependimento. Mas não se confunda: esse prazo de 7 dias não vale para troca de produtos. Uma coisa é trocar e outra é devolver. Caso você queira seu dinheiro de volta, essa é a melhor opção e não se esqueça que no momento de enviar a mercadoria de volta é preciso incluir a nota fiscal da compra.

– E se meu produto estiver com defeito?
A substituição de produtos defeituosos ou com mau funcionamento é garantida pelo Código de Defesa do Consumidor. Caso você faça as suas compras online e receba o produto com defeito aparente, existem prazos para reclamar com a loja virtual, que variam de acordo com o tipo de produto. Para eletrodomésticos, eletrônicos e outros produtos duráveis, o prazo é de até 90 dias. Para os não duráveis, como alimentos e flores, o prazo é de 30 dias. A partir disso, fica valendo a garantia do fabricante, que varia conforme a marca. Essa informação consta em contrato, não deixe de checar. Se depois de 30 dias da reclamação o problema não for resolvido, você poderá, além de trocar o produto por outro igual, solicitar devolução imediata do valor pago, ou ainda, pedir que seja feito o abatimento proporcional do preço, caso decida ficar com o produto defeituoso.

– Posso trocar um produto que não tenha servido? 
Troca de produto é diferente de devolução. Pelo Código de Defesa do Consumidor, as lojas não são obrigadas a trocar os produtos caso não haja algum defeito ou propaganda enganosa. Então, a política de trocas pode variar de loja para loja. No entanto, muitas delas aceitam a troca, em função de cores ou tamanhos, por exemplo, dentro de um prazo pré-estabelecido (fique atento às letras miúdas quando fechar a compra). Nesse caso, os custos de frete ficam a cargo do consumidor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s