“O Orkut morreu e o Google esqueceu de enterrar”, afirma Gabriel Rossi, estrategista em marketing

Até então o Orkut era a maior rede social na internet brasileira. Já estava em situação de apreensão, mas ainda tinha dezenas de milhões de seguidores. Dois anos depois, contrariando expectativas, ela ainda existe. Mas, segundo o estrategista em marketing Gabriel Rossi, simplesmente “morreu. E o Google, seu proprietário, esqueceu de enterrá-lo“.

ACEITA-Faça-Marketing-Em-Qualquer-Lugar-480x359

A queda mais forte do Orkut ocorreu em 2012, quando o gosto e a popularidade do Facebook cresceram de forma a diminuir em 95,6% a participação do Brasil em acessos fixos na rede do Google, segundo os dados da Experian Hitwise. “A culpa é exclusivamente da falta de comprometimento da organização com relação à identidade da rede social. O Google já não é uma empresa tão nova e sua missão como marca deixa bem claro a irrelevância do Orkut em sua estratégia corporativa: organizar a informação do mundo”, comenta Rossi.

De acordo com o especialista, o alcance do Facebook sobre os antigos usuários do Orkut se deve à modernização e o constante acompanhamento dos heavy users das redes sociais. “Veremos cada vez mais a migração da classe C e da nova classe média para o Facebook, já que o mesmo flexibilizou a navegação, melhorou a customização cultural para os brasileiros. Sem falar que tornou-se um fenômeno cultural na grande maioria dos países do mundo. A estratégia do Facebook é construir uma internet dentro da internet”, completa.

Diferentemente da rede de Mark Zuckerberg, o Orkut carece de estratégia, na visão de Rossi: tudo ficou parado no tempo sem acompanhar a velocidade de mudança do internauta moderno. “O maior erro do Orkut foi não se preocupar com a autenticidade dos perfis na rede. A quantidade de fakes desmoraliza o ambiente e cria uma massa grande de irrelevância e ofertas promocionais abusivas”, acusa o estrategista.

Mesmo com a situação, Rossi consegue ver uma luz no fim do túnel para a utilização da antiga rede social número um entre os brasileiros. “Marcas e empresas ainda podem enxergar no Orkut uma excelente forma de pesquisa e aprendizado sobre o consumidor. Há diversos dados e rastros de comportamento deixados em anos de interatividade na rede. Tudo isso deve ser investigado, organizado e analisado”, finaliza.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s